O impacto ambiental provocado pela construção civil foi quase que absoluto até surgir a concepção de construções sustentáveis.

Embora as construções sustentáveis não sejam um conceito novo, o resgate de sua importância se deu a partir dos anos 1990, junto com a ideia de sustentabilidade que se consolidava na época.

Nos Estados Unidos, na Europa e no Japão, já existem até incentivos para quem optar por construções ecologicamente corretas.

No post de hoje, vamos explorar esse assunto e explicar o que são construções sustentáveis. Acompanhe!

O que são construções sustentáveis?

Construções sustentáveis representam o resultado de uma abordagem mais harmonizada com o meio ambiente, desde o planejamento até o acabamento do prédio construído. Construir de modo sustentável requer estar atento para amenizar os impactos ambientais e aproveitar os recursos naturais com a máxima eficiência.

Dessa forma, desde o planejamento e a escolha dos materiais até a pós-construção, deverá sempre ser levada em conta uma abordagem holística, tanto do conjunto quanto das partes. A destinação adequada dos resíduos da obra e dos resíduos recicláveis dos usuários do imóvel será objeto de atenção.

Além disso, o aproveitamento máximo da iluminação natural, as instalações para uso eficiente da água e a utilização de formas alternativas de energia são algumas das preocupações que mais caracterizam uma construção sustentável.

Importância das construções sustentáveis

As construções sustentáveis consolidam os princípios de sustentabilidade, tão propugnados na sociedade moderna. Constituem, por suas características, o esforço de cada família, de cada grupo, no sentido de resguardar os recursos naturais próximos ou distantes.

Ao mesmo tempo, ao primarem pela eficiência energética e pelo uso racional da água, integram esforços mundiais pela manutenção desses recursos para as gerações futuras.

Finalmente, representam uma nova mentalidade que propõe equilíbrio entre a natureza e o impactante segmento da construção civil.

Princípios básicos da construção sustentável

Pode-se resumir que as construções sustentáveis se caracterizam por 5 princípios básicos que as norteiam, quais sejam:

1. Os projetos devem ser inteligentes

Significa que engenheiros e arquitetos levarão em conta características como as condições naturais do terreno, o clima local, a topografia, a vegetação existente, a luminosidade e a ventilação.

2. A escolha dos materiais deve ser orientada pela racionalidade

O gerenciamento da obra, quando da seleção do material para uma construção sustentável, deverá priorizar o uso de materiais ecológicos e a sua correta utilização. Para isso, deve-se fazer alguns questionamentos:

  • A matéria-prima é reciclada e renovável?
  • O processo produtivo apresenta baixo consumo de água e de energia?
  • O produto é poluente?
  • A instalação gera resíduos?
  • A embalagem é reciclável?
  • O produto apresenta alguma certificação?

São exemplos de materiais próprios das construções sustentáveis:

  • Madeira de reflorestamento;
  • Plástico reciclado;
  • Concreto reciclado;
  • Tijolos de solo-cimento;
  • Forros e painéis em ecoplaca;
  • Telhas ecológicas;
  • Placas de cortiça reciclada;
  • Descarga de acionamento duplo;
  • Torneiras temporizadoras.

3. O prédio construído deverá apresentar eficiência energética

A construção sustentável deverá resultar em casas e prédios capazes de se manterem de modo econômico em relação à energia.

Desse modo, a utilização de energia solar para o aquecimento da água, a utilização de sistemas fotovoltaicos para a geração de eletricidade, a opção por eletrodomésticos de baixo consumo e lâmpadas econômicas, entre outros, ilustram os aspectos de sustentabilidade energética.

4. O consumo de água deverá ser sustentável

A utilização de descarga de acionamento duplo e de torneira temporizada, a captação de água da chuva para utilização não potável e a adequação para aproveitamento de água da máquina de lavar são algumas das características sustentáveis em relação ao consumo de água.

5. Os resíduos gerados deverão ser minimizados e adequadamente dispostos

O esforço na racionalização dos materiais e insumos para a minimização de resíduos deverá ser complementado com a segregação possível para fins de reciclagem.

Do mesmo modo, a destinação final não reciclada deverá atender aos princípios da preservação do meio ambiente e da legislação aplicável.

Dessa forma, consolidam-se as construções sustentáveis, uma alternativa para minimizar os efeitos de um dos segmentos mais impactantes para o meio ambiente.

Gostou do conteúdo deste post? Conhece outras iniciativas que caracterizem uma construção sustentável? Deixe um comentário com as suas observações!